Agende V. Mariana   Agende Pinheiros  
Fisioterapia esportiva

Atletas e praticantes de atividades físicas precisam contar com o corpo em perfeito funcionamento. Porém, o esforço e a execução de movimentos repetitivos podem provocar lesões e dores, comprometendo a performance esportiva. Com a fisioterapia esportiva, o diagnóstico e o tratamento são realizados para não somente reabilitar, como para fortalecer e proteger músculos e articulações. O objetivo é que o paciente possa retomar as suas atividades o mais breve possível.

O objetivo é que o paciente possa retomar as suas atividades o mais breve possível.

Por isso, analisamos, avaliamos e tratamos o gesto motor do atleta que está influenciando negativamente a sua performance. Para a reabilitação, o tratamento também utiliza exercícios, como pilates e treinamento funcional.
Indicações
Dores em geral
Distensão muscular
Pós-cirúrgico
Entorses
Bursite
Tendinites, LER/DORT (Lesões por Esforço Repetitivo)
Alterações articulares (artrose, artrite, hérnias de disco etc.)

Síndromes Metabólicas
Alterações posturais
Problemas na coluna (escolioses, ciatalgias lombalgias, cervicais etc.)
Pubalgias
Sequelas de traumatismos
Reabilitação esportiva
Contusões
Problemas motores
Recuperação de lesões

COMO FUNCIONA​
Quem pratica exercícios físicos com frequência sempre está exposto a acidentes ou lesões de menor ou maior grau. Pode ser uma queda, uma torção ou mesmo uma batida grave. Técnica bastante produtiva e lúdica, a fisioterapia esportiva trabalha áreas lesionadas em decorrência de algum problema durante a prática de um esporte ou exercício.

A segmentação esportiva é uma importante especialização dentro da fisioterapia. Ao promover maior sustentabilidade ao corpo, oferece reabilitação, atenção e precaução intensas ao atleta. A especialidade é direcionada principalmente aos atletas, mas as pessoas que não costumam realizar exercícios com frequência também podem ser submetidas às técnicas.

O objetivo é simples: recuperar e proteger o corpo das lesões e contusões. Aqui, entretanto, o processo costuma ser mais rápido e otimizado, visto que um atleta não conta com tanta flexibilidade ou disponibilidade de tempo quanto os pacientes convencionais. O foco é a reabilitação efetiva e o mais veloz possível.

Na fisioterapia esportiva, todas as estruturas do corpo (muscular, óssea e articular) são trabalhadas com mais intensidade e rigidez, com amplitudes ainda mais sofisticadas e potencializadas do que uma prática fisioterápica comum.

A fisioterapia esportiva é, além de um recurso para eliminar a dor, uma fonte de ajuda para a prática dos exercícios sem riscos e uma alternativa para checar o funcionamento do sistema musculoesquelético do corpo e fortalecê-lo para qualquer ocasião.

Recuperar
São realizados tratamentos para reverter o quadro negativo da lesão e assim proporcionar maior vigor à toda estrutura da área afetada. Todas as ações motoras são trabalhadas em diversas atividades, seja para casos de sobrecarga ou força em excesso, seja para ações repetitivas.

Sanar
O fisioterapeuta busca a reeducação da área atingida. É hora do corpo se aperfeiçoar para que se recupere mais rapidamente e sem nenhuma sequela. A depender da modalidade do atleta ou esportista, o profissional indica e orienta ações motoras específicas para tratar as lesões já instaladas no corpo. Essa integração entre a reeducação e o trabalho estático de recuperação depende da gravidade do problema do paciente.

Prevenir
As técnicas de prevenção da fisioterapia esportiva têm a ver com trabalhar e treinar o corpo para o reconhecimento dos desequilíbrios ou devaneios que podem acarretar um acidente similar ao sofrido pelo atleta, evitando assim sua repetição. A biomecânica é bastante exercida nessa parte, pois o corpo irá reconhecer e desenvolver ações de prevenção contra qualquer irregularidade muscular, óssea ou articular, permanecendo mais firme.

37% dos brasileiros sofrem de dor crônica, estágio avançado do incômodo;
80% dos pacientes do consultório têm ótimos resultados na eliminação das hérnias de disco;
90% das dores musculoesqueléticas e articulares poderiam ser evitadas caso o paciente procurasse ajuda no momento do trauma;
70% das dores como artroses, tendinites e bursites poderiam ser evitadas com tratamento preventivo.
SUA REABILITAÇÃO COMEÇA AQUI

Corpo clínico


  • WESLEI LIMA

  • WANESSA SOLDERA

  • CAMILA SALVADOR