Agende V. Mariana   Agende Pinheiros  
Bandagem terapêutica: o que é e para que serve?

Uma das preocupações de várias pessoas que praticam atividade física é sobre a recuperação rápida de uma lesão ou inflamação no corpo. Mesmo que se faça um exercício moderado e que não apresente alto risco, o foco é ter uma regeneração breve e não ficar muito tempo sem treinar. Um recurso capaz de promover essa condição é a bandagem terapêutica, que vem sendo usada por pessoas de todas as idades e perfis.

A habilitação motora com o uso desse material é segura e não causa nenhum problema durante a atividade física. Com a devida indicação médica, sua utilização apresenta muitas vantagens e a estabilização articular, muscular e óssea é garantida e preservada.

O que é uma bandagem terapêutica?

Algumas partes do corpo ficam mais expostas a edemas, lesões e outros traumas típicos de quem pratica exercícios físicos. A bandagem terapêutica é uma fita elástica posta nessas áreas mais suscetíveis, a fim de preservar essas regiões ao mesmo tempo em que o corpo realiza esforço durante as atividades.

Essa fita não causa alergia à pele do atleta e ajuda em diversos aspectos da fisiologia do corpo durante a prática dos exercícios. Entretanto, caso a fita seja aplicada de modo inadequado, ela pode causar problemas na postura e intensificar as dores durante as atividades. O ideal é que a bandagem seja posta por um profissional médico que já vai notar as áreas que possuem maior incidência de lesões ou traumas musculares para que seu efeito seja melhor absorvido.

Como usar?

Antes de iniciar a atividade física, o profissional põe a bandagem no atleta de acordo com as áreas a serem tratadas com mais atenção. Cada área pode ser identificada com uma fita de cor diferente para facilitar o uso. Durante os exercícios, o atleta recebe estímulos advindos da fita que potencializam as ações dos músculos trabalhados. A fita também protege as articulações de forma que qualquer esforço mais concentrado seja inibido contra essas estruturas.

A biomecânica é então aperfeiçoada durante os treinos e após o treino, o atleta retira a fita e deixa o corpo descansar. Não há risco de colocá-la muito antes da prática dos exercícios, uma vez que a colocação da bandagem ajuda o corpo a se acostumar com o esforço e preserva a musculatura e também os ligamentos para grandes impactos, como uma corrida. No caso de uma maratona por exemplo, o atleta poderá usar a bandagem 3 ou 4 dias antes de participar da corrida para já estimular o trabalho anatômico do corpo contra qualquer trauma durante a corrida.

Seguindo uma avaliação médica, a bandagem terapêutica pode ter seus efeitos positivos sentidos com mais força quando ela não é colocada sobre problemas cutâneos, feridas, carcinomas ou outra anomalia que gere atrito ou danos à pele. Procure seu médico para conferir quais são os locais mais propícios para a colocação do material.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como osteopata em São Paulo e Belo Horizonte.