Saiba como funciona a reabilitação esportiva
reabilitação esportiva

Quando falamos em reabilitação esportiva, as pessoas tendem a pensar em esporte de alto rendimento.

De forma imediata, o leitor faz a associação entre o termo e outras situações em que estão presentes na medicina. Assim,conclui que estamos falando de uma abordagem terapêutica para recuperar atletas para que eles possam voltar a exercer suas atividades esportivas de alto rendimento.

Nada disso está errado. O objetivo da reabilitação esportiva é exatamente esse. Deve-se, todavia, acrescentar alguns ingredientes para que a definição possa ser mais precisa.

Em primeiro lugar, esse tratamento busca, mais que somente a reabilitação, a prevenção contra futuras lesões. A presença de elementos como a osteopatia, a aplicação de pilates e treinamento funcional no trabalho de reabilitação são indicadores claros de uma preocupação em dotar o atleta de novas valências físicas.

Explicando melhor, essas são disciplinas que trabalham de forma intensa a visão sistêmica do corpo, apostando no equilíbrio entre os sistemas para promover um maior equilíbrio físico e uma propensão menor a lesões. A osteopatia é um tratamento que se vale apenas de técnicas manuais e exclui o uso de medicamentos. Faz uma abordagem que inclui histórico de saúde, hábitos alimentares e ocorrência de possíveis patologias que possam trazer problemas às articulações.

Os treinamentos funcionais e de pilates são atividades individualizadas, que respeitam as particularidades fisiológicas de cada atleta. Podem ser usados na recuperação, mas o ponto forte é o impacto nas valências funcionais e estruturais, como equilíbrio, performance do sistema cardiovascular, postura e fortalecimento da musculatura do abdômen, entre outros ganhos. Por esses motivos, cada vez mais ganham espaço nas academias.

Reabilitação esportiva é para todos

Outro aspecto que deve ficar bem claro é que a reabilitação esportiva não é dirigida somente a atletas de alto rendimento, mas a todos aqueles que praticam qualquer tipo de atividade esportiva.

A diferença está na intensidade com que se dá a prática esportiva, mas os riscos de lesões e a prevenção, reservadas as devidas proporções, são os mesmos.

A abordagem médica e fisioterapêutica no âmbito da prática esportiva deve ser feita de forma holística e transdisciplinar. Considere que o corpo depende do bom funcionamento de diversos sistemas para produzir os resultados esperados do ponto de vista da performance, da nutrição à endocrinologia, da educação física à psicologia.

Como funciona a reabilitação?

Falando em psicologia, é fundamental o entendimento de que a reabilitação será muito mais positiva se houver uma abordagem transdisciplinar, em que as diversas funções do tratamento dialoguem e se apresentem de forma complementar.

Voltando ao ponto de vista da psicologia, sabemos que os atletas reagem de formas diversas às lesões, tanto de forma global, como em cada fase do processo. Sabe-se também da importância de sua conduta mental no processo de recuperação. Estar ciente de que a lesão faz parte da atividade esportiva é o primeiro passo. O segundo é a percepção clara de que cumprir cada passo da rotina de tratamento é a forma de encurtar a recuperação e superar cada fase do tratamento; principalmente, aquelas que sucedem o diagnóstico, sendo a primeira a redução da dor. Essa, sem dúvida, é a fase mais dramática do tratamento, em que o apoio psicológico é mais importante.

A parte clínica da reabilitação esportiva, além do combate à dor e redução da resposta inflamatória, inclui a redução do edema. Na fase seguinte, de preparação física, todo esforço dirige-se a recuperação das valências musculares, até o retorno às atividades funcionais.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como osteopata em São Paulo e Belo Horizonte