Agende V. Mariana   Agende Pinheiros  
Pilates no tratamento da doença de Osgood-Schlatter

A doença de Osgood-Schlatter corresponde a lesões que afetam os joelhos durante a fase de crescimento. A denominação dessa patologia é uma referência aos pesquisadores que a descreveram, em 1903, em Osgood, nos Estados Unidos, e Schlatter, na Alemanha.

Essa enfermidade causa danos ao tubérculo tibial, na parte da cartilagem do crescimento. Trata-se de uma síndrome que se desenvolve principalmente na adolescência, ocorrendo com maior frequência entre os indivíduos do sexo masculino.

Isto acontece, provavelmente, porque os meninos costumam praticar esportes como futebol, basquete, vôlei e skate, que exigem muita força muscular e sobrecarregam os joelhos.

Sintomas e diagnóstico da doença de Osgood-Schlatter

O principal sintoma é a dor no joelho. Sem tratamento, essa lesão gera a formação de um nódulo ósseo, inflamação e limitação de movimentos. O diagnóstico é feito por exame físico e radiografia. É possível que o paciente sinta dor quando o médico for examinar o joelho.

O resultado da radiografia, caso o paciente tenha desenvolvido a enfermidade, mostrará fragmentação e irregularidade no tubérculo tibial, devido a repetidas extensões e flexões forçadas do joelho.

Tratamento indicado

É tratada com repouso e aplicações de gelo, até três vezes ao dia. Esportes e exercícios físicos de impacto não devem ser realizados enquanto o joelho não estiver totalmente reabilitado. Durante o período de recuperação, é possível praticar atividades de baixo impacto, como a natação.

Para o paciente que reclama de dores fortes, o médico prescreverá medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios. A imobilização temporária do joelho, na maioria dos casos, não é necessária. A cirurgia também é raramente indicada como tratamento dessa síndrome, exceto em casos de maior gravidade, que não melhoram com terapias convencionais nem com o fim da fase de crescimento.

A doença é autolimitada e evolui de maneira favorável ao paciente. De modo geral, após os 16 anos, os sintomas desaparecem, porém, a protuberância óssea formada no joelho pode permanecer a vida toda.

Pilates auxilia no tratamento

Os exercícios de Pilates podem ser indicados ao processo de reabilitação do paciente. A prática contribui para controlar a dor no joelho, fortalecer a musculatura, tendões, cartilagem e ligamentos. Nas aulas, o paciente aprenderá a realizar os movimentos da forma mais adequada, evitando a progressão da lesão.

Durante o processo de reabilitação, com aulas de Pilates, as musculaturas que mais precisam de alongamento são os quadríceps femoral, tríceps sural e os isquiotibiais. O fortalecimento é feito com exercícios que trabalham os adutores e extensores de quadril. Após algumas sessões, o paciente já apresentará uma melhora significativa dos sintomas.

A continuidade no Pilates ajuda a prevenir não só as lesões no joelho, mas também em outras partes do corpo.

O prognóstico da doença de Osgood-Schlatter é favorável, contudo, sem o acompanhamento médico, há a possibilidade de surgirem complicações que perdurarão na vida adulta. A síndrome gera dor crônica, ossículo doloroso e avulsão da tuberosidade tibial anterior.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como osteopata em São Paulo e Belo Horizonte.