Enxaqueca: o que pode ser?
enxaqueca

Uma enxaqueca, definitivamente, não é o mesmo que qualquer dorzinha de cabeça – e só quem já sofreu com ela pode confirmar isso. A enxaqueca consiste em um dos variados tipos de cefaleia (nome científico da dor de cabeça), e é caracterizada por fortes e agudas dores em um ou ambos os lados da cabeça.

Esta é uma doença mais comum no público feminino, especialmente com idade entre 25 e 40 anos, com tendência a diminuir a partir dos 50. De acordo com o Ministério da Saúde, até 25% das mulheres podem ter enxaqueca ao longo da vida, enquanto a porcentagem é de apenas 10% para os homens.

Uma crise de enxaqueca pode durar de 4 a 72 horas e geralmente vem acompanhada de outros sintomas, como fonofobia (hipersensibilidade a ruídos e barulhos), fotofobia (hipersensibilidade a luz), náuseas e vômitos.

Mas afinal, quais podem ser as causas da enxaqueca?

Antes de tudo, uma informação que talvez você nem sequer imaginava: a enxaqueca possui motivações genéticas. Sendo assim, você possui maiores chances de desencadear crises de enxaqueca se alguém próximo em sua família também as possui.

Por outro lado, crises também podem ser desencadeadas de acordo com uma série de outros fatores. A seguir, confira os principais deles:

Enxaqueca e os fatores hormonais

Muitas vezes, em mulheres, a enxaqueca está relacionada a determinados períodos do ciclo menstrual. Não é por um acaso que esse tipo de enxaqueca é conhecido como ‘enxaqueca menstrual’. O uso de anticoncepcionais costuma diminuir a intensidade das crises, que geralmente perduram até a menopausa.

Dormir muito ou dormir pouco

Dormir muito mais – ou muito menos – do que se está acostumado também é um dos gatilhos frequentes para as tenebrosas crises de enxaqueca.

Esforço físico prolongado

Há um tipo específico de enxaqueca causado pelo esforço físico. É sempre importante prestar atenção nas atividades que antecedem as crises. Se a dor de cabeça forte é atrelada à prática de exercícios e atividades físicas, vale a investigação.

Sons ou luzes intensas

Alguns indivíduos apenas desencadeiam crises de enxaqueca quando ficam expostos a sons ou luzes muito intensas. Nesses casos, o ideal é que a pessoa descanse em um quarto escuro e livre de interferências ruidosas.

Consumo de determinados alimentos

Alguns alimentos já foram associados à incidências de crises de enxaqueca. Entre eles, estão frutas cítricas, frituras, queijos envelhecidos amarelos, café, gorduras em excesso, chocolates, refrigerantes e até mesmo algumas carnes processadas.

Além dos fatores mencionados acima, as crises de enxaqueca também podem ser estimuladas pelos seguintes gatilhos:

  • Longos períodos de jejum;
  • Estresse em determinado ambiente (como trabalho, faculdade ou até mesmo em casa);
  • Fortes mudanças de umidade ou temperatura;
  • Cheiros muito fortes (como de perfumes, por exemplo);
  • Uso abusivo de determinados medicamentos.

Por fim, vale lembrar que a enxaqueca é uma condição que se manifesta com o mesmo padrão, porém, intensidade diferente para cada indivíduo. Sendo assim, tanto o espaço entre uma crise e outra como os “gatilhos” que resultam em crises podem ser bem variados.

Tratando com a Osteopatia

A fisioterapia possui técnicas que visam tratar e prevenir tais patologias, como a Osteopatia, uma filosofia aplicada mundialmente, que tem como conceito tratar o paciente como um TODO, enxergando o “corpo como uma unidade única e indivisível”. A osteopatia é um método de avaliação, diagnóstico e tratamento que busca liberar as tensões e bloqueios que podem levar o paciente ao desenvolvimento da enxaqueca. Por exemplo: Uma lesão do cóccix  pode repercutir no crânio e gerar uma dor de cabeça, por exemplo.

O tratamento osteopático vem sendo utilizado com eficácia em pacientes que possuem enxaquecas, cefaleias tensionais, entre outros tipos de dores de cabeça. Estudos demonstram que as técnicas osteopáticas podem ser eficazes, aliviando as dores do paciente significativamente, chegando a 50% em um curto período de tempo.

A Osteopatia vem sendo considerada preferida, comparada a outras modalidades de tratamento, podendo beneficiar pacientes que sofrem efeitos adversos de medicamentos ou que possuem certa dificuldade em cumprir regimes farmacológicos. Se associado aos medicamentos, o tratamento osteopático apresenta diversos benefícios quando comparado somente ao tratamento medicamentoso.

Após conhecer um pouco mais sobre a enxaqueca e suas possíveis motivações, não hesite em conhecer também um pouco mais sobre o meu trabalho. Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisioterapeuta osteopata em São Paulo.