Agende V. Mariana   Agende Pinheiros  
Estresse e dor lombar: entenda a relação

O estresse é uma doença diretamente ligada ao dia a dia acelerado, ao excesso de preocupações, à pressão pela perfeição e à falta de foco para uma melhor qualidade de vida. A reação dele tem uma ampla variedade de respostas, nas quais as mais previsíveis são raiva momentânea, mau humor, apatia, baixa autoestima, grande fadiga, isolamento, dificuldade de concentração.

Os sintomas podem ser ampliados quando se considera que muitas doenças possuem essa condição como fator de risco para avançarem. Hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes e até mesmo lúpus e câncer são algumas das mais comuns, assim como o surgimento de dores localizadas e que podem repercutir de forma cada vez mais negativa no corpo, como a dor lombar.

Como é a reação do estresse no corpo humano

O estresse é um problema psicológico que tem males físicos como consequência, mais que qualquer outro distúrbio. Ele pode surgir de situações físicas, como excesso de trabalho e falta de boa qualidade no sono, mas também de uma situação intensa emocionalmente, como a morte de alguém querido e o desemprego.

O desequilíbrio grande que esse quadro causa pode até mesmo afetar as pessoas ao redor, como colegas e familiares. Na prática, o estresse é uma defesa do corpo após um tipo de esforço extremo ou de fortes reações emocionais, situações que liberam mediadores químicos para que o organismo reaja a elas e possa se proteger do perigo.

Esses mediadores são muito benéficos em situação de luta, embate e decisões importantes, mas quando têm presença constante no dia a dia, o corpo requisita o tempo inteiro esses agentes químicos, que não acabam não sendo suficientes para suprir a necessidade e fazem com que outras situações se desencadeiem, como o aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial.

O músculo se contrai para relaxar e, quando está motivado por situações estressantes, ele se contrai, mas não relaxa. Cerca de 40% da população tem ou já teve dores na coluna motivadas por esse fator só no último ano.

Relações do estresse com a coluna lombar

Cada indivíduo tem a própria forma de reagir ao estresse, que é influenciado por fatores genéticos, condição física e tipo de alimentação. Os primeiros sintomas podem ser disfarçados como distração, falhas de memória, ganho ou perda de peso inexplicável, dores de cabeça e musculares.

Inconscientemente  e sob o comando desse fator, a pessoa pode adotar posturas físicas inadequadas e que podem gerar danos ao organismo, que irá reagir. E, com o prolongamento do quadro, o problema vai crescendo, até chegar a lesões musculares mais sérias, com dores fortes sem causas aparentes.

Como a lombar é a estrutura que sustenta o peso corporal, a lesão muscular acaba provocando uma sobrecarga vertebral e uma possível hérnia de disco. E nesse caso o melhor tratamento para a dor lombar é a prevenção, com reavaliação da sobrecarga de trabalho e pequenos exercícios de alongamento. Se a lesão já estiver estabelecida, é preciso buscar ajuda médica. Para confirmar o diagnóstico, o médico fará a requisição de exames radiológicos, que, sendo confirmados, partirão para medicação, fisioterapia e mudança de estilo de vida.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisioterapeuta em São Paulo!