microfisioterapia

Microfisioterapia: 6 mitos e verdades sobre a técnica

A microfisioterapia é uma técnica de terapia manual que investiga a causa primária de uma doença. Reconhecida mundialmente, permite investigar, identificar e tratar as marcas armazenadas em nosso organismo que causam complicações, traumas e dores crônicas.

A eficácia desse tratamento reside no fato de que quando o corpo não consegue identificar e tratar esses eventos traumáticos, o organismo perde sua capacidade de autocorreção, permitindo o surgimento das doenças e seus sintomas. Com esta técnica, o organismo reconhece a origem da dor e inicia um processo de autocura por meio de pequenas e leves palpações em alguns pontos pelo corpo em que houve a perda da energia vital, oferecendo à pessoa uma nova oportunidade de concluir “ela mesma” o trabalho incompleto.

Diante de várias dúvidas que ainda surgem quanto à microfisioterapia, separamos as questões mais comuns para que você veja quais os mitos e quais as verdades desse processo.

1. A técnica pode ser utilizada em qualquer tipo de problema

VERDADE. De acordo com estudos e casos de sucesso, a técnica é capaz de melhorar e tratar diversos problemas do corpo, entre eles os de caráter físico, como entorses, contusões e fibromialgia, os de ordem emocional como perdas, separações, síndrome do pânico, ansiedade e depressão e ainda enxaquecas, distúrbios alimentares, falta de atenção, distúrbios do sono, problemas gastrointestinais, sinusites, alergias em geral, fobias, entre outros.

A microfisioterapia tem uma importante função no estímulo do sistema imunológico. Quando o sistema não consegue eliminar um agressor surgem as chamadas cicatrizes patológicas que podem desencadear doenças graves. Dessa forma, a microfisioterapia pode ser uma aliada de pacientes que sofrem com diversos problemas imunológicos.

2. Microfisioterapia faz regressão

MITO.  Apesar da técnica identificar a data aproximada em que o problema ocorreu, não trabalha com regressão. Durante a sessão, o terapeuta, por meio do toque no corpo do paciente, encontrará a “cicatriz” que deu origem ao problema. 

A microfisioterapia auxilia o corpo na eliminação dessas “cicatrizes” e na reconstituição do organismo, eliminando os vestígios emocionais e traumáticos. Vários problemas de saúde podem ser melhorados com essa intervenção.

Cicatrizes da primeira infância, ou ainda eventos que tenham ocorrido até mesmo antes do nascimento e foram passados por meio da gestação, tudo pode ser detectado pelo profissional dessa área.

3. Com uma sessão de microfisioterapia já estou curado

MITO. Para um resultado satisfatório, são necessárias de duas a quatro sessões. Elas duram cerca de 45 minutos e devem ter um intervalo de três a quatro semanas para que o corpo desenvolva o trabalho de autocorreção. Caso seja um problema delicado, podem ser sugeridas sessões em um intervalo menor. Após o tratamento realizado, são indicadas sessões semestrais ou anuais, conforme o caso, para controle.

As sessões devem ter um intervalo de três a quatro semanas, para que o organismo consiga desenvolver seu trabalho de autocura. Casualmente, dependendo da gravidade do problema, são indicadas duas sessões consecutivas.

Após o tratamento, é recomendado realizar uma sessão ao ano ou a cada seis meses para manutenção e controle.

Não é preciso se despir para fazer as sessões. Porém, é indicado o uso de roupas leves para que os sinais vitais fiquem mais perceptíveis.

4. A técnica pode ser aplicada em crianças

VERDADE. Pessoas de qualquer idade podem ser submetidas à técnica, de bebês a idosos.

A microfisioterapia é indicada para diagnosticar e tratar diversas dores. As dores lombares, por exemplo, podem ter como origem as glândulas paratireoides, situadas na base do pescoço: estas enviam uma mensagem química errada que provoca espasmos dos músculos próximos da coluna, na região lombar.

O diagnóstico micropalpatório permite que o fisioterapeuta localize e identifique a memória traumática que causa a dor atualmente. E quando esse profissional auxilia o corpo a eliminar essa cicatriz, traz não somente o alívio da dor, mas também evita que essa memória se desloque, podendo causar uma degeneração.

5. A microfisioterapia utiliza a psicologia

MITO. O lado psicológico da pessoa não é trabalhado, mas sim como seu corpo se comporta diante de um conflito de origem emocional ou físico.

É comum que o corpo tenha reações diversas após uma sessão de microfisioterapia. Isso porque o processo de autocura pode gerar cansaço por alguns dias. O mais recomendado é que o indivíduo descanse nesse período e evite realizar atividades que requerem esforço, como dirigir, por exemplo.

Além disso, para auxiliar a recuperação, o ideal é ingerir aproximadamente dois litros de água por dia. Oscilações emocionais também podem surgir, no entanto, isso não ocorre com todos as pessoas.

Outros sintomas que podem ocorrer, embora não sejam frequentes, são:

  • diarreia;
  • vômito;
  • dor no local da sessão;
  • alterações de humor;
  • febre.

Cada pessoa reage de uma forma à sessão e essas respostas do corpo não devem ser vistas como algo ruim. Da mesma forma, a ausência desses sintomas não significa que a terapia não está funcionando.

Outro aspecto a ser levado em consideração é que o indivíduo deve fazer o mínimo de interferências possíveis nessas reações. Assim, o uso de medicamentos não é recomendado. Dessa forma, o melhor a ser feito é descansar e se hidratar.

6. A recuperação das sessões é super tranquila

VERDADE. Após as sessões a pessoa pode sentir um leve cansaço por um ou dois dias. Dessa forma, é sugerido que o paciente repouse depois da sessão, não faça atividades físicas e não dirija por longos períodos. Para reduzir esses sintomas e auxiliar esse processo, é indicada a ingestão de muita água. Enjoos, náuseas e irritação são raros mas podem ocorrer nos primeiros dias.

Nem sempre a região onde a pessoa sente dor será a origem do problema. Através de um diagnóstico da microfisioterapia é que o profissional conseguirá identificar e tratar a memória traumática, promovendo alívio da dor e a cura do problema.

A microfisioterapia é reconhecida pela comunidade médica e os benefícios são inúmeros. Por isso, se sentir necessidade, converse com seu médico a respeito do assunto e procure um fisioterapeuta habilitado para a função.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficaremos felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Conheça melhor a clínica Osteopatia SP lendo mais artigos no nosso blog!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp