Agende V. Mariana   Agende Pinheiros  
A importância da osteopatia na gravidez 

Lidar com a gravidez nem sempre é uma tarefa fácil. Embora seja uma época inesquecível para inúmeras mulheres, o momento também pode vir acompanhado de dores, inchaços e alterações nos sistemas do corpo. Nesse cenário, a  osteopatia é altamente indicada para uma gestação tranquila.

Você sabia que esse tipo de terapia é, inclusive, a principal indicação da OMS (Organização Mundial da Saúde) para as grávidas? Isso porque o acompanhamento reduz consideravelmente os impactos e contratempos comuns durante o período da gravidez.

Acompanhe o artigo para saber mais!

Qual a diferença entre a osteopatia e outras terapias?

A osteopatia não é a única técnica recomendada pela classe médica. Massagens, uso de óleos naturais, drenagens linfáticas, pilates e inúmeras outras terapias são indicações para aliviar os incômodos da gestação. Ainda assim, há um questionamento sobre a diferença da osteopatia em relação a esses outros métodos.

O grande benefício do acompanhamento com o osteopata está no foco da terapia. Ela não apenas minimiza os efeitos, ela age diretamente na causa do problema.  Na gravidez, o corpo passa por necessidades particulares, e nem sempre tratar somente as patologias dessas necessidades é suficiente.

A osteopatia, assim, atende a todo o funcionamento do corpo e ao modo como ele está reagindo frente às transformações durante os 9 meses de gestação. É como o trabalho de uma máquina, no qual toda a engrenagem é mantida num mesmo ritmo, sem deixar sequelas ou complicações em outras partes.

Osteopatia e gravidez: como a terapia age na mulher?

A principal reclamação da gestante é a dor. No caso da osteopatia, ela não vai atenuar a dor e, sim, eliminá-la. Em princípio parece ser algo improvável, mas o tratamento é focado nos pontos onde a incidência de dor é evidente e com intensidade maior. Não se trata de massagens, mas de toques que dão maior sustentação ao corpo e mais resistência contra esses incômodos.

Devido à sensibilidade mais aflorada nas gestantes, os toques terapêuticos devem ser suaves. Todo o processo age contra possíveis inflamações, inchaços, dores e qualquer alteração na área central de gravidade do corpo durante a gravidez, justamente pelo crescimento da barriga.

Quais são as áreas trabalhadas?

Mesmo havendo alguns locais já conhecidos que são propensos a dores e a outros problemas, o procedimento trabalha o corpo de uma forma completa. Nuca, braços, barriga, lombar, tornozelos, joelhos, pernas e pés são algumas das partes que podem ser trabalhadas durante a terapia.

Há pontos variados espalhados pelo organismo que podem prejudicar o sistema linfático, o nervo ciático e o sistema respiratório. A osteopatia envolve toques que trabalham todos esses pontos de modo a não originar dores ou transtornos à medida que o tempo de gestação se prolongue.

Dessa maneira, a mulher se sente preparada para o impacto na hora do parto e aumenta sua elasticidade, relaxando toda a estrutura do períneo para o nascimento do bebê. São muitos benefícios, não é mesmo?

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como fisioterapeuta osteopata em São Paulo!