osteopatia na gravidez

7 benefícios da osteopatia na gravidez

Dores pelo corpo, incômodo nas costas, inchaço na região inferior do corpo, sistemas urinário e digestivo descontrolados. Estes são apenas alguns dos sintomas físicos que afligem as gestantes, geralmente, do 3º ao 9º mês. Para aliviar as condições pontuais, muitas mulheres recorrem a massagens ou drenagens linfáticas. Mas se o objetivo for lidar com o ponto que originou o problema, outro método de tratamento deve ser recomendado.

Do que estamos falando? Da osteopatia que, atualmente, é recomendada pela própria OMS (Organização Mundial da Saúde) para lidar com os contratempos que tanto incomodam as gestantes.

Sua eficiência foi tão garantida que do primeiro semestre de 2017 para cá, a terapia não invasiva e que elimina o uso de medicamentos passou a ser oferecida pelo próprio sistema público de saúde brasileiro, o SUS.

Essa introdução já te deixou curiosa para conferir, não é mesmo? Então, conheça 7 benefícios da osteopatia na gravidez neste post.

1. Pensar no paciente e não na doença

No caso da gravidez, esse benefício da terapia é um dos mais expressivos, uma vez que a gestação, de fato, não é e não pode ser tratada como uma patologia. Portanto, a osteopatia na gravidez se concentra em restaurar o funcionamento normal do corpo, sem ignorar as particularidades desta fase.

2. Corpo todo, um ritmo só

O organismo da mulher grávida possui necessidades e particularidades bem específicas. Diante disso, seu físico evolui, mas nem sempre os órgãos estão preparados para acompanhar essas alterações, o que leva às dores e incômodos.

A osteopatia na gravidez atua de modo a incluir todo o corpo em apenas um ritmo, o que possibilita mais bem-estar e menos dores.

3. Pode ser realizada desde o início da gestação

Recomenda-se que a osteopatia na gravidez se torne uma aliada a partir do 3º mês, que é quando as dores começam a aparecer de forma mais expressiva.

4. Não há contraindicações

Não há nenhum tipo de contraindicação para a realização, principalmente porque a terapia não é invasiva e não prescreve medicamentos. Porém, é sempre recomendada a autorização do obstetra responsável pelo acompanhamento do pré-natal.

5. A técnica manipula, mas não massageia

O osteopata não faz massagem, mas sim manipula certos pontos do corpo, de modo a aliviar a dor. Em mulheres grávidas, os toques são muito suaves.

6. A osteopatia previne

Além de diminuir incômodos e dores, a técnica também prevê riscos de novas inflamações ou dores, tratando-as previamente. Conforme o osteopata, as “pistas” estão na postura e na movimentação da mulher.

7. Relaxa o bebê

Com o relaxamento da mãe, os sistemas em equilíbrio e circulação em dia, o bebê também fica relaxado e se desenvolve melhor. Ainda, a terapia também prepara a mulher para o parto normal.

Agora você já sabe quais são os mais expressivos e pontuais benefícios da osteopatia na gravidez.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como osteopata em São Paulo e Belo Horizonte.

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp